Seja bem-vindo!
Meu Cadastro Meus Pedidos Minha Compra 0 itens
Home Conselhos Editoriais Notícias Lançamentos Fale Conosco
 
As Dimensões da Formação Humana
As Faces da Lingüística Aplicada
Caminhos da Construção
Cenas do Cotidiano Escolar
Coleção Desconstruindo a Violência
Coleção Educação Estatística
Coleção Fazer A_Parecer
Coleção Insubordinação Criativa
Coleção Psicologia em Perspectiva
Coleção TerramaR
Desenvolvimento Humano e Práticas Culturais
Discurso e Ensino
Educação
Educação e Psicologia em Debate
Ensaios em Interculturalidade
Estudos da Linguagem
Gêneros e Formação
História, Ciências Sociais e Economia
Histórias de Leitura
Idéias sobre Linguagem
Leitura e Bibliotecas Escolares
Leituras no Brasil
Letramento, Educação e Sociedade
Letras em Série
Lingüística
Lingüística e Psicanálise
Literatura
Memória e História da Educação
Mercado de Letras Fundamental
Mercado de Letras Saúde
Mercado de Letras Temas
Série Aurora
Série Bakhtin - Inclassificável
Série Caminhos da Neurolinguística Discursiva
Série Drogas, Política e Cultura
Série Educação Geral, Superior e Formação Continuada do Educador
Série Educação Matemática
Série Espaços da Linguística de Corpus
Série Estudos do Léxico
Série Estudos em Políticas Públicas e Educação
Série Literatura, Leitura e Educação Infantil
Teoria Literária
 
Detalhes da Obra Mercado de Letras •
Bilhetes Postais

(Organização, Introdução e Notas Carolina Feracin da Silva)

• Coelho Netto

DE R$ 58,00 POR R$ 40,60.

15 de maio de 1892. Na segunda página do jornal O Paiz aparecia pela primeira vez a coluna "Bilhetes Postais", assinada por um certo " N.". Sob o pseudônimo escondia-se o já renomado escritor Henrique Maximiano Coelho Netto, autor das crônicas ligeiras destinadas ao público feminino que apareceriam naquele espaço nos meses seguintes. A aparente frivolidade dos textos, escritos não por acaso ao longo dos dois anos mais duros do governo de Floriano Peixoto, acabou por garantir ao escritor uma razoável liberdade crítica. Ainda que escrevendo em um jornal assumidamente simpático ao governo republicano, ele soube conferir às suas crônicas um caráter dúbio, no qual a leveza dos temas acobertava muitas vezes duras censuras ao regime que tanto defendera em anos anteriores. Conseguia, com isso, intervir a seu modo nos conflitos políticos deflagrados no período, garantindo tanto um espaço de afirmação de seus ideais quanto a possibilidade concreta de sobrevivência. A série "Bilhetes Postais" acabou constituindo-se para ele, neste sentido, em uma trincheira de luta cotidiana, permitindo-lhe um espaço para expressar por formas diversas seu descontentamento com questões políticas e sociais do período e sua visão pessoal sobre outros temas cotidianos presentes no momento - constituindo-se, por isso, em um rico testemunho sobre os primeiros anos da República na capital federal.

Sobre a autora

Ana Carolina Feracin da Silva nasceu em janeiro de 1975 na cidade de Mococa SP. Formou-se em História em 1998 pela Universidade Estadual de Campinas, onde recentemente conclui o mestrado em História do Trabalho desenvolvendo uma pesquisa na qual, para além da experiência particular de Coelho Netto, procurou analisar a atuação de outros literatos no interior da campanha republicana e durante os conflitos deflagrados no Governo Floriano Peixoto. Atualmente, cursando o doutorado pela mesma universidade, dá continuidade aos estudos sobre as últimas décadas do século XIX debruçando-se sobre a trajetória de José do Patrocínio.

(capa e projeto gráfico: Vande Rotta Gomide
 

 
 
Por: R$ 0,00
ISBN: 85-85725-87-7
Páginas: 360
Formato: 16 x 23 cm
Altura: 20
Largura: 16
Comprimento: 23
Acabamento: Brochura
Edição:
Idioma: Português
Ano: 2009
 
 
Forma de Pagamento :