Seja bem-vindo!
Meu Cadastro Meus Pedidos Minha Compra 0 itens
Home Conselhos Editoriais Notícias Lançamentos Fale Conosco
 
As Dimensões da Formação Humana
As Faces da Lingüística Aplicada
Caminhos da Construção
Cenas do Cotidiano Escolar
Coleção Desconstruindo a Violência
Coleção Educação Estatística
Coleção Fazer A_Parecer
Coleção Insubordinação Criativa
Coleção Psicologia em Perspectiva
Coleção TerramaR
Desenvolvimento Humano e Práticas Culturais
Discurso e Ensino
Educação
Educação e Psicologia em Debate
Ensaios em Interculturalidade
Estudos da Linguagem
Gêneros e Formação
História, Ciências Sociais e Economia
Histórias de Leitura
Idéias sobre Linguagem
Leitura e Bibliotecas Escolares
Leituras no Brasil
Letramento, Educação e Sociedade
Letras em Série
Lingüística
Lingüística e Psicanálise
Literatura
Memória e História da Educação
Mercado de Letras Fundamental
Mercado de Letras Saúde
Mercado de Letras Temas
Série Aurora
Série Bakhtin - Inclassificável
Série Caminhos da Neurolinguística Discursiva
Série Drogas, Política e Cultura
Série Educação Geral, Superior e Formação Continuada do Educador
Série Educação Matemática
Série Espaços da Linguística de Corpus
Série Estudos do Léxico
Série Estudos em Políticas Públicas e Educação
Série Literatura, Leitura e Educação Infantil
Teoria Literária
 
Detalhes da Obra Mercado de Letras •
A Inútil Paixão do Ser - Figurações Do Narrador Moderno
• Flavia Trocoli

DE R$ 42,00 POR R$29,40.

A tese defendida por Flavia Trocoli - e expressa já nas primeiras páginas de seu livro - vai mais além da análise dos modos de estar na linguagem de Clarice Lispector e Virginia Woolf.  A essa tese subjaz a psicanálise como um modo de fazer, um modo de ler, que se relaciona ao modo como ela corta, analisa e interpreta os textos colocados em relação e em disjunção. E assim essa tese se enuncia: há um saber que não se sabe, um saber inconsciente, “exposto em ato no texto” da literatura e da psicanálise. Daí sua paixão pela ignorância, inútil paixão do ser. Daí seu apelo ao que Lacan chamaria de “saber em fracasso”, distinguindo esse “saber em fracasso” do “fracasso do saber”. Tomado como figura em abismo, esse “saber em fracasso” seria, para Lacan, o único método possível para a psicanálise ler a literatura. E é esse saber em fracasso que vemos operar nas leituras deste livro em que se lê Machado de Assis para ler Lúcio Cardoso e Clarice Lispector e em que se lê Lúcio Cardoso e Clarice Lispector para ler Virginia Woolf. Estamos diante de um livro sobre a escrita de duas mulheres acometidas pela inútil paixão do ser. E, no entanto, nele não se lê, nenhuma vez, a palavra “feminino”. Como a psicanálise, aquela que se apaga para ler lacanianamente o texto, o feminino aqui opera como uma forma de leitura em cortes e de amor em pedaços, mise-en-abime insistente de um saber em fracasso que, sem afirmar sua paixão, nem sua ignorância, redoa aos textos de Clarice e de Virgínia uma nova dignidade: aquela de quem quebra a palavra como “ato de amor à literatura”.

SOBRE A AUTORA:

Flavia Trocoli fez pós-doutorado em Linguística (2004-2007) na Universidade Estadual de Campinas; é professora do Departamento de Ciência da Literatura da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Teoria Literária, Literatura Comparada e Literatura e Psicanálise. É membro-fundador do Centro de Pesquisas Outrarte: psicanálise entre ciência e arte, no Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp. Organizou com Nina Virginia de Araújo Leite a obra Um retorno a Freud (Mercado de Letras 2008) e com Alberto Pucheu Neto e Sonia Branco a obra Teoria literária e suas fronteiras (Azougue 2014).

 
 
Por: R$ 29,40
ISBN: 978-85-7591-328-4
Páginas: 148
Formato: 16 X 23
Altura: 10
Largura: 16
Comprimento: 23
Acabamento: Brochura
Edição:
Idioma: Português
Ano: 2015
 
 
Forma de Pagamento :