Seja bem-vindo!
Meu Cadastro Meus Pedidos Minha Compra 0 itens
Home Conselhos Editoriais Notícias Lançamentos Fale Conosco
 
As Dimensões da Formação Humana
As Faces da Lingüística Aplicada
Caminhos da Construção
Cenas do Cotidiano Escolar
Coleção Desconstruindo a Violência
Coleção Educação Estatística
Coleção Fazer A_Parecer
Coleção Insubordinação Criativa
Coleção Psicologia em Perspectiva
Coleção TerramaR
Desenvolvimento Humano e Práticas Culturais
Discurso e Ensino
Educação
Educação e Psicologia em Debate
Ensaios em Interculturalidade
Estudos da Linguagem
Gêneros e Formação
História, Ciências Sociais e Economia
Histórias de Leitura
Idéias sobre Linguagem
Leitura e Bibliotecas Escolares
Leituras no Brasil
Letramento, Educação e Sociedade
Letras em Série
Lingüística
Lingüística e Psicanálise
Literatura
Memória e História da Educação
Mercado de Letras Fundamental
Mercado de Letras Saúde
Mercado de Letras Temas
Série Aurora
Série Bakhtin - Inclassificável
Série Caminhos da Neurolinguística Discursiva
Série Drogas, Política e Cultura
Série Educação Geral, Superior e Formação Continuada do Educador
Série Educação Matemática
Série Espaços da Linguística de Corpus
Série Estudos do Léxico
Série Estudos em Políticas Públicas e Educação
Série Literatura, Leitura e Educação Infantil
Teoria Literária
 
Detalhes da Obra Mercado de Letras •
Clássicos na Educação Matemática Brasileira - Múltiplos Olhares

(Organização: Beatriz Silva D'Ambrosio e Roger Miarka)

• Beatriz Silva D´Ambrosio
• Roger Miarka

DE R$ 85,00 POR R$ 59,50.

Beatriz Silva D'Ambrosio, simplesmente Bia, foi uma educadora matemática que contribuiu significativamente para a formação de professores e pesquisadores no contexto americano e brasileiro.

Bia acreditava que cada um de nós é especial pelo potencial que tem e que, como formadores e pesquisadores, precisamos ajudar a criar uma geração que seja muito melhor do que nós, uma geração que possa reinventar-se, ao invés de criar réplicas de nós mesmos.

Para Bia, a produção de conhecimento é compartilhamento que requer que os indivíduos aprendam a colaborar, cada um contribuindo com seus talentos individuais e pontos fortes, a fim de resolver os imensos problemas que nós - ou nossa geração - não conseguimos resolver.

Bia defendia que os problemas de desigualdade e as injustiças do nosso mundo exigem, extremamente, resolução criativa de problemas fundamentada nos valores, na moral, na ética e sobretudo, na solidariedade - pensar fora da caixa, a fim de imaginar novas possibilidades de relacionar-se no mundo. Porém, resolver problemas de forma criativa requer confiança, coragem e desejo de agir!

Essas crenças e os valores de Bia levaram à publicação desta obra que prioriza a produção colaborativa e criativa, incentivando e valorizando novas gerações.


Este livro, organizado por Beatriz D'Ambrosio e Roger Miarka, trata dos clássicos da Educação Matemática, e faz isso a partir dos olhares de pesquisadores em formação ... e de pesquisadores mais experientes, como é o caso dos organizadores, a quem coube a batuta deste projeto. [...] Cada um dos textos que o compõem é uma peça para que o leitor forme sua ideia de clássico e sua lista do que tomaria como tal no campo da Educação Matemática. Sensatamente, todos os seus autores evitam defender uma definição de clássico e, como decorrência disso, se permitem caminhar entre textos, posturas, tendências e autores dos mais diversos matizes, variando suas perspectivas e explorando possibilidades, sem nunca cristalizar posições ou oferecê-las, como presente de grego, aos leitores.

Além do panorama multifacetado que o livro permite conhecer ou analisar, deve ser ressaltada como extremamente significativa a proposta que gerou essa coletânea de estudos: a perspectiva de um trabalho coletivo genuíno; a forma mais legítima, se não a única, de produzir conhecimento e formar pesquisadores. Esta coletânea é, pois, consequência de um esforço conjunto e - não fosse também o bônus dos maravilhamentos que cada um dos seus capítulos traz e permite - só isso já justificaria sua publicação e sua divulgação.

SOBRE OS ORGANIZADORES:

Beatriz Silva D’Ambrosio é graduada em Matemática pela Universidade Estadual de Campinas. Mestre e Doutora em Educação Matemática pela Indiana University. Atualmente é uma grande inspiração para amigos, professores, pesquisadores e muitas outras pessoas que tiveram o privilégio de ter suas vidas tocadas pela dela.

Roger Miarka é mestre e doutor em Educação Matemática pela Unesp de Rio Claro, atuando atualmente como docente na mesma universidade. Foi professor visitante na University of Auckland e realizou um estágio de doutoramento com foco em estudos antropológicos na Università di Bologna. Realizou, ainda, um pós-doutoramento na Universitat Autònoma de Barcelona. Dedica-se em sua pesquisa a temas ligados à Filosofia da Educação Matemática, à Etnomatemática e à Epistemologia do Conhecimento.


SOBRE OS AUTORES:

Andriceli Richit é licenciada em Matemática. Mestre e doutora em Educação Matemática pela Unesp - Campus Rio Claro. Atua como professora no IFC - Campus Concórdia no curso de Licenciatura em Matemática dentre outros e pesquisa temas como: formação de professores, Tecnologias Digitais, Comunidades de Prática, TPACK, Cálculo Diferencial e Integral, Geometria e Álgebra Linear. Membro do GFP - Unesp, GEPEM@T - UFFS e do Grupo de Pesquisa em Educação Matemática do IFC - Campus Concórdia.

Débora Eloísa Nass Kieckhoefel é licenciada em Matemática pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), aprofundando seus estudos no mestrado em Educação Matemática, concluído em 2015 na Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp). Atualmente é professora da Rede Municipal de Ensino de Joinville e da UDESC e busca por novos caminhos de estudos, de discussões e de mudanças no seu entorno.

Evelaine Cruz dos Santos é mestre e doutora em Educação Matemática pela UNESP - Rio Claro/SP e membro do GEPEtno - Grupo de Estudo e Pesquisa em Etnomatemática.  É professora na Paineira Escola Waldorf - Juiz de Fora/MG, com interesse nos seguintes temas: Ensino e Aprendizagem da Matemática, Etnomatemática, Formação de Professores, História da Matemática, Pedagogias e metodologias alternativas.

Gabriela Félix Brião concluiu o mestrado em Matemática pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) em 2005. Atualmente, é doutoranda em Educação Matemática na Universidade Estadual Paulista (Unesp/Rio Claro), com um sanduíche nos Estados Unidos. É professora e formadora de professores há cerca de dez anos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), universidade na qual concluiu sua licenciatura plena em Matemática também no ano de 2005.

Helber Rangel Formiga Leite de Almeida Almeida é Bacharel em Matemática pela Universidade Federal da Paraíba, Mestre em Matemática pela Universidade de Brasília e Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Estadual Paulista. É professor Adjunto I da Universidade Federal de Campina Grande.Membro do Grupo de Pesquisa em Informática, outras Mídias e Educação Matemática (GPIMEM). Atuando nas seguintes linhas de pesquisa: Tecnologias Digitais, Educação a Distância e Ensino Superior.

Jeannette Emma Galleguillos Bustamante é chilena, possui graduação em Licenciatura em Matemáticas pela Universidad de Valparaíso (2008) e mestrado em Magister en Informática Educativa pela Universidad de La Frontera (2010). Atualmente é profesor auxiliar na Universidad de Valparaiso, e Doutoranda do Programa de Educação Matemática da Unesp. Tem experiência na área de Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: Tecnologia e Ensino da Matemática, Modelagem Matemática e Teoria da Atividade.

José Walnei Arregui é Licenciado em Matemática pela Universidade de Franca. Atualmente é professor do Centro Paula Souza, da Faculdade de Tecnologia (FATEC) de Mococa - SP.

Juliana Aparecida Rissardi Finato é licenciada em Matemática pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, campus de Bauru, em 2012. Mestre em Educação Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Estadual Paulista (PPGEM/Unesp), campus de Rio Claro, em 2015. Integrante do Grupo de Pesquisa “História Oral e Educação Matemática” (GHOEM). Professora efetiva da Rede Pública de Ensino do estado de São Paulo.

Juliana Martins é estudante de doutorado no Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), Campus de Rio Claro em São Paulo, Brasil. Participou de projetos educacionais voltados aos primeiros anos da educação básica e relacionados ao Ensino e Educação Matemática. Atualmente, possui interesse no estudo da História da Matemática e História da Educação Matemática no Brasil. É membro do Grupo de Pesquisa em História da Matemática (GPHM), criado em 1995, certificado pela Unesp e credenciado no diretório de grupos de pesquisa no Brasil.

Luciano Duarte da Silva é licenciado e bacharel em matemática pela PUC-GO, mestre em matemática na área de Geometria Diferencial pela UFG e doutor em Educação Matemática pela Unesp - Rio Claro. É professor e formador de professores de matemática no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG), Campus Goiânia. Na área de pesquisa tem atuando principalmente com os seguintes temas: O ensino das disciplinas específicas do curso de licenciatura em matemática e políticas públicas voltadas a formação de professores.

Marcelo Bezerra de Morais é licenciado em Matemática pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), mestre e doutorando em Educação Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Estadual Paulista (PPGEM/Unesp) e membro do Grupo de Pesquisa História Oral e Educação Matemática (GHOEM). Desenvolve pesquisas em Educação Matemática, trabalhando e tendo interesse principalmente com os seguintes temas: história da Educação Matemática; História Oral; metodologia de pesquisa; formação de professores;  sujeitos, identidades e subjetividades; temporalidades e espacialidades.

Márcio Urel Rodrigues é licenciado em Matemática pela UNEMAT, Mestre e doutorando em Educação Matemática no Instituto de Geociências e Ciências Exatas (IGCE) da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita filho” (Unesp) - Rio Claro/SP. Profissionalmente, atua como Professor efetivo lotado na Faculdade de Ciências Exatas e Tecnológica da Universidade do Estado de Mato Grosso - Campus Barra do Bugres/MT. Como pesquisador desenvolve pesquisas envolvendo (i) processos formativos de professores de Matemática; (ii) políticas públicas educacionais para a formação de professores; (iii) Metodologias de ensino de Matemática.

Maria Margarete do Rosário Farias é doutora em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista. Professora Adjunta da Universidade Estadual de Santa Cruz. Membro do Grupo GPEMEC e do Grupo GPEMAC UESC. Tem experiência na área de Educação Matemática, atuando principalmente nas seguintes linhas de pesquisa: Formação de Professores, Semiótica , Ensino e Aprendizagem do Cálculo Diferencial e Integral, Tecnologia da Informação, Comunicação, Comunidades de Prática e Teoria da Atividade.

Maria Eliza Furquim Pereira Nakamura é doutoranda e mestre em Educação Matemática pela Unesp - Rio Claro/SP. Especilização em Ensino de Ciências e Matemática, Licenciatura Plena em Matemática na Unesp - Bauru/SP.  Membro do Grupo de Pesquisa em Historia Oral e Educação Matemática - GHOEM.  É professora na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga, com experiência nos seguintes temas: Ensino e Aprendizagem da Matemática, Formação de Professores, História Oral, Cálculo Diferencial e Integral e Estatística.

Marília Zabel é licenciada em Matemática pela Universidade Estadual de Santa Catarina (UDESC). Mestre em Educação Matemática pela Unesp - Campus Rio Claro. Atualmente é professora substituta no Instituto Federal Catarinense - Campus Rio do Sul, atuando principalmente no curso de Licenciatura em matemática.

Nilton Cezar Ferreira é doutorando no Pós-Graduação em Educação Matemática da Unesp - Rio Claro, na área de Resolução de Problemas. Mestre em Matemática, na área de álgebra, com aplicações em criptografia, pela UFG-Universidade Federal de Goiás. Professor de Matemática do IFG-Instituto Federal de Goiás. Membro do GTERP - Grupo de Trabalhos e Estudos em Resolução de Problemas na Unesp - Rio Claro e NEPEM - Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática no IFG.

Rejane Waiandt Schuwartz de Carvalho Faria é mestre e, atualmente, doutoranda em Educação Matemática pela Unesp - Rio Claro, com bolsa Capes. Possui Licenciatura Plena em Matemática pelo Instituto Federal Fluminense. É membro do GPIMEM, e têm desenvolvido pesquisas abordando os temas: Tecnologias Digitais, Formação Continuada de Professores de Matemática, GeoGebra, Padrões Fractais, Ensino e Aprendizagem de Matemática, Intradisciplinaridade Matemática, Raciocínio Proporcional e Teoria dos Conteúdos da Aprendizagem.

Taís Alves Moreira Barbariz é doutoranda em Educação Matemática pela Unesp - Rio Claro (ingresso 2013), Mestre em Educação pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2009), Especialista em Educação Matemática pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2004), Especialista em Design Instrucional Virtual pela Universidade Federal de Itajubá (2011), Licenciada em Matemática pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1999) e Bacharel em Ciências Estatísticas pela Escola Nacional de Ciências Estatísticas (1979). Tem interesse em pesquisas que relacionam Educação Matemática, Informática Educativa, Ensino à Distância e Filosofia, especialmente a Fenomenologia. É membro do grupo FEM (Fenomenologia e Educação Matemática).

Tássia Ferreira Tártaro é doutoranda em Educação Matemática pela Unesp de Rio Claro, mestre pela Universidade de Uberaba e graduada pela Unesp de Ilha Solteira. É professora do Ensino Básico do Estado de São Paulo. Atualmente pesquisa temáticas em Educação Matemática, apoiadas na literatura da Filosofia da Diferença.

Tatiane da Cunha Puti de Souza é doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática - Unesp - Rio Claro/SP. Mestre em Educação Matemática pela Unesp - Rio Claro/SP (2011). Possui graduação em Matemática - Licenciatura Plena - pela Unesp - Rio Claro/SP (2007). Membro do Grupo de Trabalhos e Estudos em Resolução de Problemas (GTERP) da mesma instituição. Atuando principalmente nos seguintes temas: Ensino-Aprendizagem da Álgebra Escolar, Generalização Matemática e Resolução de Problemas.

Viviane de Oliveira Santos possui mestrado em Matemática pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Atualmente é professora do Instituto de Matemática da UFAL, docente no Mestrado Profissional em Rede Nacional (PROFMAT), aluna regular de doutorado na área de História da Matemática, no curso de pós-graduação em Educação Matemática da Universidade Estadual “Júlio de Mesquita Filho”, campus de Rio de Claro, e coordenadora do curso de Matemática Licenciatura da UFAL. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Geometria Diferencial e está atuando na área de História da Matemática.

 
 
Por: R$ 59,50
ISBN: 978-85-7591-415-1
Páginas: 408
Formato: 14 x 21
Altura: 0
Largura: 0
Comprimento: 0
Acabamento: Brochura
Edição:
Idioma: Português
Ano: 2016
 
 
Forma de Pagamento :