Seja bem-vindo!
Meu Cadastro Meus Pedidos Minha Compra 0 itens
Home Conselhos Editoriais Notícias Lançamentos Fale Conosco
 
As Dimensões da Formação Humana
As Faces da Lingüística Aplicada
Caminhos da Construção
Cenas do Cotidiano Escolar
Coleção Desconstruindo a Violência
Coleção Educação Estatística
Coleção Fazer A_Parecer
Coleção Insubordinação Criativa
Coleção Psicologia em Perspectiva
Coleção TerramaR
Desenvolvimento Humano e Práticas Culturais
Discurso e Ensino
Educação
Educação e Psicologia em Debate
Ensaios em Interculturalidade
Estudos da Linguagem
Gêneros e Formação
História, Ciências Sociais e Economia
Histórias de Leitura
Idéias Sobre Linguagem
Leitura e Bibliotecas Escolares
Leituras no Brasil
Letramento, Educação e Sociedade
Letras em Série
Lingüística
Lingüística e Psicanálise
Literatura
Memória e História da Educação
Mercado de Letras Fundamental
Mercado de Letras Saúde
Mercado de Letras Temas
Série Aurora
Série Bakhtin - Inclassificável
Série Caminhos da Neurolinguística Discursiva
Série Drogas, Política e Cultura
Série Educação Geral, Superior e Formação Continuada do Educador
Série Educação Matemática
Série Espaços da Linguística de Corpus
Série Estudos do Léxico
Série Estudos em Políticas Públicas e Educação
Série Literatura, Leitura e Educação Infantil
Teoria Literária
 
Detalhes da Obra Mercado de Letras •
Leitores de Tinta e Papel - Elementos Constitutivos Para o Estudo do Público Literário no Século XIX
• Alexandro Henrique Paixão

DE: R$ 74,00  POR: R$ 51,80

Há uma ideia corrente segundo a qual pouco se lia no Brasil no século XIX. Contrariando essa máxima, muito repetida mas pouco fundamentada, o livro Leitores de tinta e papel apresenta contundentes dados sobre uma fração do público leitor de literatura no Rio de Janeiro e em São Paulo, em meados do século XIX - mais especificamente sobre leitores de romances e crônicas publicados na forma de folhetins em jornais das duas cidades. Provavelmente, havia poucos leitores eruditos no Brasil no século XIX, que leriam aquilo que seus herdeiros intelectuais apreciariam no futuro. Mas havia quem devorasse textos e mais textos de Alexandre Dumas, Eugène Sue, Pigault Lebrun, Camilo Castelo Branco, José de Alencar, Fagundes Varela entre tantos outros. Felizmente, eles também tiveram herdeiros intelectuais, inteligentes e vigorosos, como Alexandro Paixão, autor deste livro. Partindo de informações sobre frequentadores de um gabinete de leitura, da consulta a cartas e manuscritos, da análise de documentos e impressos diversos, este trabalho mostra que a leitura não era um privilégio das camadas dominantes e tinha considerável espaço na sociedade brasileira oitocentista. (Márcia Abreu)

SOBRE O AUTOR:

Alexandro Henrique Paixão é graduado em Ciências Sociais pela Unesp de Marília, mestre e doutor em Sociologia pela USP, com pós-doutorado em Teoria e História Literária pelo Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp. É professor de Sociologia no Departamento de Ciências Sociais na Educação na Faculdade de Educação da Unicamp.

 
 
Por: R$ 51,80
ISBN: 978-85-7591-442-7
Páginas: 336
Formato: 16 x 23
Altura: 0
Largura: 0
Comprimento: 0
Acabamento: Brochura
Edição:
Idioma: Português
Ano: 2017
 
 
Forma de Pagamento :