Seja bem-vindo!
Meu Cadastro Meus Pedidos Minha Compra 0 itens
Home Conselhos Editoriais Notícias Lançamentos Fale Conosco
 
As Dimensões da Formação Humana
As Faces da Lingüística Aplicada
Caminhos da Construção
Cenas do Cotidiano Escolar
Coleção Desconstruindo a Violência
Coleção Educação Estatística
Coleção Fazer A_Parecer
Coleção Insubordinação Criativa
Coleção Psicologia em Perspectiva
Coleção TerramaR
Desenvolvimento Humano e Práticas Culturais
Discurso e Ensino
Educação
Educação e Psicologia em Debate
Ensaios em Interculturalidade
Estudos da Linguagem
Gêneros e Formação
História, Ciências Sociais e Economia
Histórias de Leitura
Idéias sobre Linguagem
Leitura e Bibliotecas Escolares
Leituras no Brasil
Letramento, Educação e Sociedade
Letras em Série
Lingüística
Lingüística e Psicanálise
Literatura
Memória e História da Educação
Mercado de Letras Fundamental
Mercado de Letras Saúde
Mercado de Letras Temas
Série Aurora
Série Bakhtin - Inclassificável
Série Caminhos da Neurolinguística Discursiva
Série Drogas, Política e Cultura
Série Educação Geral, Superior e Formação Continuada do Educador
Série Educação Matemática
Série Espaços da Linguística de Corpus
Série Estudos do Léxico
Série Estudos em Políticas Públicas e Educação
Série Literatura, Leitura e Educação Infantil
Teoria Literária
 
Detalhes da Obra Mercado de Letras •
Ciências da Linguagem: O Fazer Científico - Volume 2

(Organização: Adair Vieira Gonçalves e Marcos Lúcio de Sousa Góis)

• Adair Vieira Gonçalves
• Marcos Lúcio de Sousa Góis

DE R$93,00 POR R$ 65,10.

Os textos que se encontram neste volume refletem as diversidades próprias do fazer científico. Os artigos podem ser agrupados em pelo menos três conjuntos distintos: no primeiro, há artigos que dividem determinada área maior, como a Semântica e a Análise da Conversação, por exemplo, em subáreas, e mostram como efetivar uma pesquisa numa delas. Noutro grupo, encontram-se textos que exemplificam o fazer científico partindo de pesquisas já feitas e orientadas pelo próprio autor do artigo; é o caso da Linguística Textual e da Linguística Sistêmico-funcional. No terceiro, autores que construíram seus capítulos traçando um panorama desde o surgimento da área, como a Psicolinguística, mostrando em quais centros de pesquisa tal abordagem é realizada, além de traçarem um percurso metodológico na área. Esses textos são novas amostragens de como as práticas que lidam com a língua(gem) são plurais. Obviamente, conforme assinalamos no Volume 1, os capítulos aqui refletem essa diversidade teórico-metodológica do fazer científico, e o principal reflexo disso está na forma como a questão desafiadora foi respondida. As respostas são, por assim dizer, apenas respostas, sem a mínima pretensão de serem definitivas. Esperamos que este volume possa, de forma semelhante ao primeiro, servir para jovens pesquisadores aprimorarem seus conhecimentos no campo da Linguística.


SOBRE OS ORGANIZADORES:

Adair Vieira Gonçalves é docente da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). É bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq e coordenador do grupo de pesquisa “Gêneros textuais e Formação de Professores”, GETFOR/UFGD/CNPq. Possui doutorado pela Unesp, Universidade do Estado de São Paulo, com período sanduíche na Faculdade de Educação e Ciências da Linguagem, da Universidade de Genebra/Suíça. Participa, na condição de pesquisador,  de outros dois grupos de pesquisa. O primeiro com sede na Universidade Federal do Tocantins “Práticas de Linguagem em Estágio Supervisionado - PLES”- sob a coordenação do Prof. Dr. Wagner Rodrigues Silva; o segundo com sede na Universidade Estadual de Londrina, Gêneros textuais e Mediações Formativas – Gemfor, sob a supervisão da prof. Drª Elvira Lopes Nascimento. É editor da seção de Linguística e Linguística Aplicada da Revista Raído/UFGD. As principais publicações do autor são capítulos de livros e artigos publicados em diversos periódicos brasileiros. Entre os livros, há Gêneros, Interação e Letramento, organizado com Milene Bazarim, e Ciências da Linguagem: o fazer científico?, organizado com Marcos Lúcio de Sousa Góis, publicado pela Editora Mercado de Letras. adairgoncalves@uol.com.br

Marcos Lúcio de Sousa Góis é docente da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), trabalhando com disciplinas de Linguagem, Discurso e Ideologia, Fundamentos de Linguística II e Laboratório de Textos Científicos I e II. É Membro dos grupos de pesquisa “Gêneros textuais e Formação de Professores” – GETFOR/UFGD/CNPq e “Grupo de Estudos Discursivos – Gedis/UFG” e do Programa de Pós-Graduação em Letras – PPGL/UFGD. Possui licenciatura em Letras pela Universidade Federal de Goiás; Mestrado e Doutorado pela Universidade Estadual Paulista, com estágio sanduíche no Centro de Estudos Sociais, da Universidade de Coimbra, sob a orientação do Prof. Dr. Boaventura de Sousa Santos. Dentre as publicações, destaque para Literatura e Linguística: práticas de interculturalidade no Mato Grosso do Sul (2010), organizado com o Prof. Dr. Paulo Sérgio Nolasco dos Santos pela editora da UFGD. Tem experiência na área de Linguística e Língua Portuguesa, atuando principalmente em Análise do Discurso e Estudos Pós-coloniais; Análise do Discurso e Estudos Interculturais; Análise do discurso e ensino de língua materna. mlsgois2008@uol.com.br

SOBRE OS AUTORES:

Alessandra Del Ré é professora do Departamento de Linguística da Unesp, Araraquara e também atua no Programa de Pós-Graduação em Linguística da mesma universidade, na área de Aquisição da Linguagem. É líder do Grupo NALingua (CNPq) e membro dos grupos Colaje (ANR, França), Diaref (ANR,  França) e Anpepp. Doutora em Linguística pela USP, realizou parte de seu doutoramento na França (Sorbonne/Paris V), e, no período de 2008-2009, realizou um estágio de Pós- Doutorado, com bolsa Fapesp, na Université Paris X/MoDyCo/Colaje. Organizou os livros Aquisição da Linguagem: uma abordagem psicolinguística (Contexto, 2006), A linguagem da criança: sentido, corpo e discurso (PG/Unesp, 2008), em coautoria com a Profa. Dra. Sílvia D. Fernandes, e, recentemente (2010), um número temático sobre aquisição da linguagem para a revista ALFA (v.54, n.2), com a Prof. Dra. Christelle Dodane (Université Paul Valéry-Montpellier III/Colaje). aledelre@fclar.unesp.br

Anna Christina Bentes é docente da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Trabalha com as disciplinas Linguística Textual, Sociolinguística e Escrita e Oralidade. É pesquisadora da Fapesp e coordena o Projeto “É nóis na fita: a formação de registros e a elaboração de estilos no campo da cultura popular urbana paulista”. É coordenadora do Centro de Pesquisas Margens: práticas de linguagens, confluências de cultura, do Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp. Possui pós-doutorado em Linguística pela Universidade da Califórnia, Berkeley, doutorado em Linguística pela Unicamp, mestrado em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e graduação em Letras pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Suas principais publicações são os dois volumes de “Introdução à Linguística: domínios e fronteiras” (2012), organizados com Fernanda Mussalim; o volume Introdução à Linguística: fundamentos epistemológicos (2011), também organizado com Fernanda Mussalim; o volume Linguística Textual e Análise da Conversação: panorama das pesquisas no Brasil (2010), organizado com Marli Quadros Leite; e o volume Língua como prática social: das relações entre língua, cultura e sociedade, a partir de Bourdieu e Bakhtin” (2008), organizado e traduzido juntamente com Renato Cabral Rezende e Marco Antônio Machado, todos publicados pela Cortez Editora. É autora, com Ingedore Koch e Mônica Magalhães Cavalcante, do volume Intertextualidade: diálogos possíveis (2009), também publicado pela Cortez Editora. Foi organizadora de algumas revistas nacionais: Cadernos de Estudos Linguísticos, volume 44(2), com Edwiges Morato e Maria Luiza Lima, em homenagem a Ingedore Koch; Cadernos de Estudos Linguísticos, volume 48(1), com Ingedore Koch e Renato Rezende, sobre o Tópico Discursivo; a Linguagem em (Dis)curso, volume 12, com Francisco Alves Filho, sobre Referenciação, e a Alfa (Unesp), v.  50, com Sebastião Carlos Leite Gonçalves, sobre Sociolinguística. annabentes@yahoo.com.br

Antônio Suárez Abreu é professor associado da USP e professor titular de língua portuguesa da Unesp, campus de Araraquara, onde leciona gramática e retórica. É doutor e livre-docente pela USP e realizou estágio de pós-doutorado na Unicamp. Publicou: Curso de Redação (Ática); A arte de argumentar: gerenciando razão e emoção (Ateliê); Gramática mínima para domínio da língua padrão (Ateliê); A Escrita e seu design: redigindo com criatividade e beleza (Ateliê), Linguística cognitiva, uma visão geral e aplicada (Ateliê) e Texto e Gramática: uma visão integrada e funcional para a leitura e a escrita (Melhoramentos). tom_abreu@uol.com.br

Edwiges Maria Morato é professora associada (Livre-docente) do Departamento de Linguística do Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas. Graduada em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas (1988) e em Fonoaudiologia, pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1984), é Mestre (1991) e Doutora (1995) em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas, tendo realizado um estágio-sanduíche na Université de Sorbonne-Nouvelle, na França, no período de 1994 a 1995. Fez um pós-doutorado na Universidade de Paris XII entre 2001 e 2002 (Paris, França) e outro na Université Lumière II, em 2007 (Lyon, França). Pesquisadora do CNPq, tem experiência na área de Linguística e de Neurolinguística. Em torno desses temas, tem publicado vários livros e artigos, bem como realizado e coordenado várias pesquisas financiadas. É membro-fundador e atual vice-coordenadora (biênio 2012-2014) do GT da Anpoll “Linguística e Cognição” e líder do Grupo de Pesquisa Cogites (“Cognição, Interação e Significação”), cadastrado no Diretório CNPq. No Instituto de Estudos da Linguagem (IEL/Unicamp) tem coordenado, há vários anos, as atividades desenvolvidas por um grupo do qual participam pessoas afásicas e não afásicas (Centro de Convivência de Afásicos /CCA) e é membro de dois centros de pesquisa, sendo a atual coordenadora do primeiro deles: o Lafape (Laboratório de Fonética e Psicolinguística) e o U-Topos (Centro de Pesquisa sobre Utopia). Atualmente, é docente integrante do Programa de Cooperação Acadêmica da Capes (Procad que envolve a Unicamp, a UFMG e a UFES. edwiges.morato@gmail.com

Flávia Bezerra de Menezes Hirata Vale é docente da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Trabalha com as disciplinas “Língua Portuguesa: sintaxe” e “Sintaxe”, respectivamente na Licenciatura em Letras e no Bacharelado em Linguística e “Teorias da Sintaxe” no Programa de Pós-Graduação em Linguística (PPGL/UFSCar). É coordenadora do grupo de pesquisa “Funcionalismo e Discurso” - UFSCar/CNPq. Participa, ainda, como pesquisadora, de outros grupos de pesquisa: “Gramática de Usos do Português”, coordenado pela Profa. Dra. Maria Helena de Moura Neves, e do Grupo de Pesquisas em Gramática Funcional (GPGF), coordenado pela Profa. Dra. Erotilde Goreti Pezatti. Atualmente, é editora da Revista do GEL. Doutorou-se na Unesp - Universidade do Estado de São Paulo, Campus de Araraquara, sob a orientação do Profa. Dra. Maria Helena de Moura Neves. A autora tem capítulos de livros e artigos publicados em periódicos brasileiros e internacionais, tais como ALFA, Revista da Abralin e Lusorama. fbmhvale@gmail.com

Gil Negreiros é docente do Mestrado em Letras da Universidade Vale do Rio Verde de Três Corações (Unincor). Trabalha com as disciplinas “Oralidade e Escrita”, “Teorias do Discurso” e “Gêneros Textuais”. É pesquisador dos grupos de pesquisa “Gramáticas: história, descrição e discurso” (USP), “Crítica textual e edição de textos” (UERJ) e “Práticas discursivas na contemporaneidade” (Unincor). Possui pós-doutorado pelo DLV/USP – Departamento de Letras Vernáculas da Universidade de São Paulo, sob a supervisão da Profa. Dra. Marli Quadros Leite e Doutorado pela PUC/SP - Pontifícia Universidade de São Paulo, sob a orientação do Prof. Dr. Dino Preti. As principais publicações do autor são capítulos de livros e artigos publicados em diversos periódicos brasileiros. Entre os livros, é autor de Marcas de oralidade na poesia de Manual Bandeira (Paulistana) e coautor de capítulo do livro Ensino de Língua Portuguesa: oralidade, escrita, leitura, organizado por Vanda Maria Elias (Contexto). gil.negreiros@yahoo.com.br

Grenissa Bonvino Stafuzza é professora na Universidade Federal de Goiás (UFG), Campus Catalão (CAC), onde lidera o Gedis, Grupo de Estudos Discursivos. É ainda pesquisadora dos grupos de estudos e pesquisas LEP - Laboratório de Estudos Polifônicos (UFU), Slovo - Grupo de Estudos do Discurso (Unesp, Araraquara), GED – Grupo de Estudos Discursivos (Unesp, Assis). Orienta pesquisas de iniciação científica na graduação, bem como pesquisas de pós-graduação no Programa de Mestrado em Estudos da Linguagem (PMEL). Possui doutorado em Linguística e Língua Portuguesa (2009) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Araraquara, tendo realizado parte de seu doutorado na Université Paris XII, Val-de-Marne, Paris, França (2007). Organizou livros, com diversas parcerias acadêmicas e, com Luciane de Paula, é organizadora da Série Bakhtin-Inclassificável (Mercado de Letras), composta por (quatro) 4 Vols., bem como da coletânea Da Análise do Discurso no Brasil à Análise do Discurso do Brasil: três épocas histórico-analíticas (EDUFU, 2010). Em parceira com Gisele da Paz Nunes, é organizadora da coletânea Diversidade nos estudos linguísticos: língua(gem) e discurso (PUC-Goiás, 2011). É organizadora da coletânea Slovo - O Círculo de Bakhtin no contexto dos estudos discursivos (Appris, 2011) e autora da obra Análise do discurso literário: das vozes de Homero em Joyce (Appris, 2011). sgrenissa@yahoo.com

Heronides Moura é doutor em Linguística pela Unicamp e realizou estágio de pós-doutorado na Sorbonne Nouvelle. É professor da Universidade Federal de Santa Catarina, atuando no Departamento de Língua e Literatura Vernáculas. É pesquisador do CNPq e coordenador do GT da Anpoll, Linguística e Cognição. Publicou Significação e Contexto (2001) e co-organizou O Direito à Fala (2002) e tem vários artigos publicados em periódicos nacionais e internacionais. heronides@uol.com.br

Leonor Scliar Cabral é doutora em Linguística pela USP, Professora Emérita e titular concursada aposentada pela UFSC. Pós-doutorada pela Universidade de Montréal, foi eleita em 1991, na Universidade de Toronto, Presidente da International Society of Applied Psycholinguistics, ISAPL, reeleita, na Universidade de Bolonha/Cessena e é atualmente Presidente de Honra. Foi presidente da UBE-SC (1995-1997) e presidiu a Abralin (1997-1999). Foi a 1ª Coordenadora do GT de Psicolinguística da Anpoll, reeleita. Membro do Comitê da Linguagem na Criança da IALP e do Conselho Editorial do International Journal of Psycholinguistics, de Cadernos de Estudos Linguísticos e de Letras de Hoje (fundadora), da Revista da Abralin entre outros. Pesquisadora IA, atualmente é coordenadora do Grupo de Pesquisa Produtividade Linguística Emergente (CNPq), alimentando o banco mundial de dados Childes. Tem publicado Introdução à Linguística (Globo, 7ª edição) e Introdução à Psicolinguística (Ática, 1990), Romances e Canções Sefarditas, Memórias de Sefarad, De senectute erotica (Massao Ohno, 1998), Poesia espanhola do século de ouro (Letras Contemporâneas, 1998) e “O outro, o mesmo” (Tradução poética, In: J.L. Borges, Obra completa, Globo, 1999), Cruz e Sousa, o poeta do desterro (Sylvio Back (org.), Sete Letras, 2000). Ultimamente vem se dedicando à prevenção ao analfabetismo funcional, com a proposta Scliar de Alfabetização.  Seus últimos livros são Princípios do sistema alfabético do português do Brasil e Guia Prático de alfabetização (Contexto, 2003), O sol caía no Guaíba (Prym, 2006), com C.R. Caldas-Coulthard, Desvendando discursos: conceitos básicos (EDUFSC, 2008), Sagração do Alfabeto (Scortecci, 2009, finalista do prêmio Jabuti, 2010) e Psycholinguistics Scientific and technological challenges (Org., EdiPUCRS, 2010). lsc@th.com.br

Lúcia Teixeira é professora associada da Universidade Federal Fluminense, onde leciona “Linguística e Semiótica”. É doutora em Linguística e Semiótica pela USP e realizou estágio de pós-doutorado, com bolsa Capes, na Universidade de Limoges, no período de 2002-2003, pesquisadora 1-C do CNPq e Cientista do Nosso Estado da Faperj. É Presidente da ABES (Associação Brasileira de Estudos Semióticos). Coordena o Grupo de Pesquisa em Semiótica e Discurso (SEDI). Publicou As cores do Discurso (1996, EdUFF) e Linguagens na comunicação (2009, Estação das Letras e das Cores, organização, com Ana Claudia de Oliveira), além de capítulos de livros e ensaios em periódicos nacionais e estrangeiros. Publicou ainda as coleções de livros didáticos em 4 volumes Leitura do mundo (2000, Editora do Brasil) e Passaporte para a Língua Portuguesa (2009, Editora do Brasil), ambas em coautoria com Norma Discini. luciatso@gmail.com

Lúcia F. Mendonça Cyranka é professora da área de linguagem, graduação e pós-graduação, na Faculdade de Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (MG). É membro do grupo de pesquisa “Fale, Formação de Professores, Alfabetização, Linguagem e Ensino” da mesma instituição, sendo também membro da Anpoll, GT de sociolinguística. Suas investigações estão concentradas na área da sociolinguística educacional, tema dos artigos publicados em capítulos de livros, periódicos e anais de congressos. Publicou, em 2011, pela editora Appris, a obra “Dos dialetos populares à variedade culta: a sociolinguística na escola”. lucia.cyranka@uol.com.br

Kanavillil Rajagopalan (Rajan) é Professor Titular na área de Semântica e Pragmática das Línguas Naturais da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e pesquisador 1-A do CNPq. Nascido na Índia, onde obteve B.A. em Literatura Inglesa (Universidade de Kerala), M.A. em Literatura Inglesa (Universidade de Delhi) e M.A. em Linguística (Universidade de Delhi). Diplomou-se em Linguística Aplicada na Universidade de Edimburgo, Escócia. É Doutor em Linguística Aplicada (PUC-SP) e Pós-Doutor em Filosofia da Linguagem (Universidade da Califórnia, Berkeley, EUA). Já publicou 5 livros: Por uma Linguística Crítica (Parábola, 2003), A Linguística que Nos Faz Falhar (em parceria, Parábola, 2004), Políticas em Linguagem: Perspectivas Identitárias (em parceria, Editora da Mackenzie, 2005) e Applied Linguistics in Latin America (John Benjamins, 2006), Nova Pragmática: Fases e Feições de um Fazer (Parábola, 2010) e colaborou com Yves Lacoste na publicação da edição brasileira do livro A Geopolítica do Inglês (Parábola, 2005) e publicou mais de 350 textos (artigos em revistas nacionais e internacionais, resenhas, resumos, capítulos de livros, e textos em anais de congressos). klrajagopalan@yahoo.com

Marli Quadros Leite é Professor Associado da Universidade de São Paulo e faz parte do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas, no qual atua na graduação e na pós-graduação. É líder de dois Grupos de Trabalho (CNPq): “Gramáticas: história, descrição e discurso” e “Projeto NURC/SP, Núcleo USP”, no qual atua juntamente com o Prof. Dr. Dino Preti. É autora de livros - dentre os quais Metalinguagem e discurso: a configuração do purismo brasileiro e O nascimento da gramática portuguesa: uso e norma - capítulos e artigos que versam, principalmente, sobre uso e norma linguísticos.  Fez mestrado e doutorado em Linguística, na USP, e pós-doutorado nos Estados Unidos, na University of Pennsylvania, em 1999, e na Université Paris VII -Denis Diderot, na França, em 2001, junto ao Laboratoire d’Histoires des Théories Linguistiques  et Sciences du Langage (CNRS). É pesquisadora do CNPq, pelo programa de bolsas de Produtividade em Pesquisa, desde 2008. mq.leite@uol.com.br

Orlando Vian Jr. é doutor em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela PUC-SP, onde também desenvolveu estágio de pós-doutorado.  Atualmente é professor de Língua Inglesa na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, atuando no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem. É pesquisador CNPq e coordena o grupo de pesquisa em Ensino-Aprendizagem de Línguas Estrangeiras. Tem capítulos de livros e artigos em periódicos em suas principais áreas de pesquisa: gramática sistêmico-funcional, gêneros do discurso, formação de professores de inglês e ensino-aprendizagem de inglês como língua estrangeira. orlando@cchla.ufrn.br

Raquel Meister Ko. Freitag é docente da Universidade Federal de Sergipe, campus de São Cristóvão (UFS). Trabalha com a disciplina Sociolinguística, tanto na graduação como na pós-graduação. É bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq e coordenadora do grupo de pesquisa “Grupo de Estudos em Linguagem, Interação e Sociedade” – Gelins/UFS/CNPq. Doutora em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente, é editora da seção de estudos linguísticos da Revista Interdisciplinar – estudos de língua e literatura/UFS. As principais publicações da autora são capítulos de livros e artigos publicados em diversos periódicos brasileiros. rkofreitag@uol.com.br

Renato Cabral Rezende é Professor Adjunto da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), campus Guarulhos, onde trabalha com as disciplinas focadas no ensino da oralidade como prática social e de linguística textual. É mestre e doutor em Linguística Textual pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com estágio de pesquisa no doutoramento na University of California Berkeley (EUA). Foi também Professor Adjunto da Universidade de Brasília (UnB), campus Ceilândia. Na UnB, coordenou o projeto de pesquisa “Texto como prática social: processos de contextualização e fenômenos linguístico-discursivos da produção textual de sentidos” e o projeto de extensão e pesquisa “Da fé que move à palavra que me cura: benzedores no DF e suas benzeções”, projetos estes que estão em fase de redimensionamento para o contexto da Unifesp. É ainda pesquisador colaborador do projeto de pesquisa “É nóis na fita”, de Anna Christina Bentes, na Unicamp. É autor de artigos em periódicos nacionais e estrangeiros. Dentre suas principais publicações em livro está a tradução e organização (em parceria com Anna Christina Bentes e Marco Antônio Machado) da obra Língua como prática social: das relações entre língua, cultura e sociedade a partir de Bourdieu e Bakhtin (Cortez, 2008), de autoria de William F. Hanks. Publicou ainda, também com Anna Christina Bentes, o capítulo “Texto: conceitos, questões e fronteiras [con]textuais”, presente na obra Investigações sobre língua[gem] situada: [re]discutir texto, gênero e discurso (Parábola, 2008). renato.rcr@gmail.com

Taísa Peres de Oliveira é docente da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Trabalha com as disciplinas “Introdução à Gramática Funcional e Tópicos de Teorias Funcionalistas”. É coordenadora do grupo de pesquisa “Grupo de Estudos Sociofuncionalistas” e participa do “Grupo de Pesquisa em Gramática Funcional”. É docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFMS – Campus de Três Lagoas. Possui Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa pela Unesp, Universidade do Estado de São Paulo. As principais publicações da autora são capítulos de livros e artigos publicados em diversos periódicos brasileiros. taisapoliveira@gmail.com

 
 
Por: R$ 65,10
ISBN: 978-85-7591-333-8
Páginas: 452
Formato: 14 x 21
Altura: 20
Largura: 14
Comprimento: 21
Acabamento: Brochura
Edição:
Idioma: Português
Ano: 2014
 
 
Forma de Pagamento :